o orgasmo

O Orgasmo elétrico

"Orgasmo feminino" é coisa da qual as mulheres entendem muito pouco e os homens muito menos. Pelo fato de ser uma reação endócrina que se dá sem expelir nada, não apresenta nenhuma prova evidente de que aconteceu ou se foi simulado.

Orgasmo masculino não, é aquela coisa que todo mundo vê. Deixa o maior flagrante por onde passa. Diante desse mistério as investigações continuam e muitas pesquisas são feitas e centenas de livros escritos para esclarecer este gostoso e excitante assunto. Acompanho de perto, aliás, juntinho, este latejante tema.

Vi outro dia no programa do Jô Soares uma sexóloga sergipana dando uma entrevista sobre orgasmo feminino. A mulher, que mais parecia a gerente comercial da Wallita, falava do corpo como quem apresenta o desempenho de uma nova cafeteira doméstica.

Apresentou uma pesquisa que foi feita nos Estados Unidos para medir a descarga elétrica emitida pela xana na hora do orgasmo, e chegou a incrível conclusão de que, na hora H a periquita dispara uma descarga de 250.000 microvolts. Ou seja, cinco pererecas juntas ligadas na hora do "ai meu Deus" seriam suficientes para acender uma lampada.
Uma dúzia então, é capaz de dar partida num fusca com a bateria arriada.

Uma amiga me contou que está treinando para carregar a bateria do telefone celular.  Disse que gozou e, tcham, carregou.

É preciso ter cuidado porque isso não é mais xibiu, é torradeira elétrica.
Você coloca a linguicinha lá e brrrzz, sai torrada.
Pensei: camisinha agora é pouco, tem que mandar encapar na Pirelli ou enrolar com fita isolante. É recomendavel, meu amigo, na hora que você for molhar o seu biscoito lá na canequinha de sua namorada perguntar: é cento e dez  ou duzentos e vinte volts?

Senão, meu xará, depois do que essa moça falou lá no Jô, pode dar ovo frito no café da manhã."

Volta para humor