Terrorismo

 
Talibã diz que controla Kandahar e nega planos de retirada.
17 Nov. 2001 - Fonte: Veja Online

Um dia após a imprensa internacional divulgar que o líder talibã teria pedido para seus soldados deixarem a cidade e buscarem abrigo nas montanhas, a informação foi desmentida por um porta-voz da milícia.

O Talibã desmentiu neste sábado que o líder mulá Mohamed Omar tenha pedido aos seus homens para deixar Kandahar e buscar abrigo nas montanhas do Afeganistão. "Temos centenas de homens na cidade e nos arredores e vamos lutar para manter o controle", declarou o porta-voz de Omar, Mohamed Tayeb al-Agha, à rede de televisão Al Jazira. A informação de que o Talibã estava disposto a abandonar Kandahar havia sido divulgada pela agência islâmica AIP, com sede no Paquistão.

A retirada teria o objetivo de evitar a morte de mais civis em decorrência dos bombardeios promovidos pelos Estados Unidos. Se os talibãs deixassem Kandahar, restaria à milícia o controle de apenas duas cidades importantes no país, Baglan e Kunduz. Neste sábado, a AIP informou que os talibãs foram expulsos da província de Helmand, no sudoeste do país, perto de Kandahar. Na capital de Helmand, Farah, estariam acontecendo saques e confrontos que resultaram em várias mortes.

A cada dia fica mais difícil a situação do Talibã, que chegou a controlar 90% do território afegão.
 A milícia  está sendo caçada em seu próprio território por soldados americanos. As cidades que continuam sob domínio talibã são o novo alvo dos Estados Unidos e da Aliança do Norte na guerra. Se perder o controle destes últimos redutos, o Talibã estará reduzido a uma guerrilha espalhada pelo árido território afegão.

Governo pós-Talibã - O maior temor da comunidade internacional é a falta de um governo reconhecido. As cidades ocupadas pela Aliança do Norte não têm necessariamente o mesmo comando - o grupo é uma colaboração entre líderes tribais e militares de várias etnias. Há possibilidade de cada província ter um tipo de governo enquanto uma solução política não for encontrada.

Neste final de semana, a Organização das Nações Unidas (ONU) vão promover um encontro em Cabul, capital do país, para discutir o futuro governo. Além de membros da Aliança, estarão presentes representantes de várias etnias. O enviado especial da ONU para o Afeganistão, Francesc Vendrell, e o ex-presidente afegão Burhanuddin Rabbani já chegaram a Cabul.



Voltar