Terrorismo


Powell diz que EUA têm direito soberano de invadir o Iraque

Fonte: Veja Online - 26.01.2003

O secretário de Estado americano, em discurso em Davos, tentou ganhar apoio dos europeus prometendo paciência e diálogo, mas afirmou também que seu país atacará Saddam Hussein sozinho ou com aliados. Segundo ele, o ditador tem laços claros com a Al Qaeda.

O secretário de Estado americano, Colin Powell, tentou ganhar apoio das nações européias durante seu discurso ao Fórum Econômico Mundial neste domingo, em Davos, na Suíça. Ele prometeu que a Casa Branca terá paciência e dialogará, mas voltou a sinalizar que o país invadirá o Iraque mesmo sem o apoio da Organização das Nações Unidas (ONU).

"Não estamos com grande pressa para julgar hoje ou amanhã, mas é claro que o tempo está acabando. O multilateralismo não pode ser uma desculpa para a inação", declarou ele. "Não retrocederemos da guerra se esta for a única forma de fazer com que o Iraque fique livre de armas de destruição em massa. Continuamos a preservar nosso direito soberano de tomar uma ação militar contra o Iraque sozinhos ou com uma coalizão de países dispostos", acrescentou.

Outro ponto de destaque do discurso de Powell em Davos foi a acusação de que o ditador iraquiano Saddam Hussein possui ligações com a rede terrorista de Osama bin Laden, a Al Qaeda. Sem apresentar provas, ele disse que há "laços claros" e que o Iraque não tomou a decisão de cumprir as resoluções do Conselho de Segurança da ONU e se desarmar. "A rede de tiranos e do terror, de terroristas e armas de terrorismo de massa são o maior perigo de nosso tempo", afirmou.

O clima entre os empresários de Davos é de apreensão e temor em razão da ameaça de guerra, que pode agravar a crise econômica mundial. Na próxima segunda-feira, os inspetores internacionais de armas em atividade no Iraque fará a primeira prestação de contas oficial ao Conselho de Segurança da ONU. Dois dias depois, o Conselho anuncia uma nova decisão sobre o país, que pode ser a gota d'água para a invasão americana.



Voltar