Terrorismo


Inspetores da ONU encontram onze ogivas 'químicas' em solo iraquiano

Fonte: Veja Online - 16.01.2003

De acordo com porta-voz das Nações Unidas, as ogivas são capazes de abrigar os agentes químicos usados em guerras. Apesar da falta de informações precisas sobre o real valor da descoberta, notícia elevou pressão sobre país - que já fora advertido por chefe de inspeção.

Os inspetores da Organização das Nações Unidas (ONU) anunciaram nesta quinta-feira, em Bagdá, que encontraram onze ogivas com capacidade para abrigar armas químicas num depósito militar do Iraque - além de uma outra ogiva. De acordo com um porta-voz da ONU, as ogivas estavam sendo examinadas pelos inspetores, já que por enquanto não se sabe qual é a real importância da atual descoberta.

"As ogivas estavam em excelentes condições e eram similares àquelas importadas pelo Iraque no fim da década de 80", afirmou o porta-voz. No entanto, fontes da ONU e dos Estados Unidos afirmaram à rede BBC e à agência Reuters que a descoberta não é nada de surpreendente. O Iraque, por sua vez, disse que as ogivas são "foguetes velhos" que foram esquecidos no depósito militar inspecionado.

Mesmo que não represente uma infração grave sobre as ordens da ONU, a posse das ogivas capazes de carregar agentes químicos deverá reforçar os argumentos dos americanos e ingleses contra o Iraque - e até aumentar a possibilidade de guerra. A descoberta pode se somar à longa lista de infrações do Iraque em relação às sanções externas. O presidente dos EUA, George W. Bush, não se declarou.

Cooperação - A pressão sobre o Iraque já havia aumentado antes mesmo do anúncio sobre as ogivas. O chefe da Comissão de Inspeção da ONU, Hans Blix, endureceu o discurso contra o país na quinta. Em Bruxelas, na Bélgica, ele divulgou um comunicado dizendo que o ditador Saddam Hussein deverá cooperar ainda mais com as inspeções. Caso contrário, disse Blix, terá de enfrentar uma guerra.

Embora Saddam tenha permitido a livre e irrestrita inspeção por todo o país, inclusive dentro de seus majestosos e ultra-secretos palácios presidenciais, Blix diz que ele ainda não ofereceu uma ajuda suficiente às equipes internacionais que trabalham no Iraque desde dezembro. "Todos querem ter certeza absoluta de que o Iraque não esconde armas de destruição em massa", alertou Blix.

O chefe dos inspetores disse achar que "o governo iraquiano pode fazer mais do que tem feito para tornar as inspeções um caminho legítimo para o desarmamento". E completou: "O outro caminho é uma ação armada contra o país". O chefe dos inspetores também acusou Saddam de ter violado proibições impostas pela ONU e importado material que pode ter sido usado na fabricação de armas em 2001 e 2002.



Voltar