Terrorismo

 


Bin Laden testou armas químicas em animais
Sábado - 29.Dez.2001
Fonte: Estadão

Londres - Osama bin Laden e sua rede terrorista Al-Qaeda não investigavam apenas o uso de armas nucleares, químicas e biológicas, mas também fizeram testes preliminares com animais, informou hoje o jornal The Times. As informações são resultado de um cuidadoso estudo de documentos encontrados no mês passado pelo jornal britânico nas casas abandonadas pela Al-Qaeda em Cabul.

Os documentos indicam que a Al-Qaeda fez testes com certas armas químicas usando coelhos, entre elas o gás cianureto, utilizado pelo presidente iraquiano, Saddam Hussein, para matar em 1988 centenas de curdos em Halabja.

Os seguidores de Bin Laden estudavam um modo de produzir um veneno capaz de matar cerca de 2 mil pessoas em sua campanha contra o Ocidente. Os documentos escritos a mão em vários idiomas foram entregues a tradutores profissionais e cientistas especialistas em armas de destruição em massa.

O conteúdo dos papéis, elaborados por homens de distintas nacionalidades e com diferentes graus de instrução, confirma as afirmações dos governos americano e britânico de que Bin Laden buscou uma forma de fabricar a bomba nuclear.

Os membros da Al-Qaeda também conheciam o uso de circuitos elétricos para detonar bombas e treinavam células terroristas para assassinar líderes do Oriente Médio que simpatizavam com o Ocidente. Os serviços secretos estimam que cerca de 70 mil seguidores passaram pelos campos de treinamento da Al-Qaeda no Afeganistão nos últimos seis anos antes de viajar para países como EUA, Canadá, Grã-Bretanha, França, Alemanha e Rússia.

Interrogatório - Bin Laden e o líder supremo do deposto movimento Taleban, mulá Mohammed Omar, escaparam dos bombardeios em Tora Bora e até uma semana atrás ainda estavam no Afeganistão, disseram membros da Al-Qaeda, prisioneiros no Paquistão.

Uma equipe de agentes do FBI, com o apoio de funcionários do serviço secreto paquistanês, começou a interrogar alguns dos cerca de 140 milicianos da Al-Qaeda capturados por soldados paquistaneses nas áreas tribais perto de Peshawar, informou hoje o jornal paquistanês Dawn.

Haji Hazrat Khan, sobrevivente do ataque americano a um comboio há dez dias, assegurou que nos veículos viajavam apenas líderes tribais anciãos que se dirigiam a Cabul para assistir à posse do governo interino afegão e não membros da Al-Qaeda, como garantiram os EUA. Khan assegurou que tanto a embaixada americana quanto a ONU em Islamabad, Paquistão, foram informadas sobre suas intenções, identidades e coordenadas.




Voltar