Terrorismo


Bush declara fim dos combates no Iraque, mas não o fim da guerra

Fonte: CNN - Brasil - Segunda Feira - 02.05.2003

Bush diz que Iraque está livre e combates em larga escala terminaram
Da plataforma de lançamento e aterrissagem do porta-aviões USS Abraham Lincoln, o presidente dos Estados Unido, George W. Bush, declarou, nesta quinta-feira, que o "Iraque está livre" e os combates em larga escala no país terminaram.

"As principais operações no Iraque terminaram", disse Bush no início de seu discurso, de 25 minutos.
"Na batalha do Iraque, os Estados Unidos e seus aliados venceram", acrescentou.
"Nas imagens de estátuas caídas, fomos testemunhas da chegada de uma nova época". "Nessa batalha, lutamos pela liberdade e pela paz no mundo", disse Bush às tropas que estão no USS Abraham Lincoln, em um discurso transmitido em cadeia nacional de rádio e televisão.

Entusiasticamente aplaudido pela tripulação do porta-aviões, o presidente norte-americano não declarou vitória, nem o final da guerra.
Fontes do governo disseram que a Casa Branca preferiu evitar a declaração do fim da guerra para não ter o compromisso de libertar os prisioneiros, particularmente quando as forças dos EUA ainda se empenham na busca dos principais membros do regime deposto, inclusive Saddam Hussein.

Ênfase no terrorismo
Bush ressaltou que "a libertação do Iraque é um avanço crucial na campanha contra o terrorismo".
Embora não haja vínculo claro entre o regime iraquiano deposto e a organização terrorista Al Qaeda, Bush fez referência expressa ao grupo liderado por Osama bin Laden, responsável pelos devastadores atentados de 11 de setembro de 2001 em Nova York e Washington.
"Removemos um aliado da Al-Qaeda e interrompemos uma fonte de financiamento do terrorismo", disse. "E uma coisa é certa: nenhuma rede terrorista obterá armas de destruição em massa do regime iraquiano, porque o regime já não existe".
"Nas imagens de iraquianos celebrando, também vimos o apelo eterno da liberdade humana", acrescentou.
"Décadas de mentiras e intimidação não conseguiram que os iraquianos amassem seus opressores, nem desejassem sua própria escravidão (... ) Em qualquer lugar onde a liberdade existe, os tiranos temem".

"Ficaremos o tempo necessário"
Embora afirmando que o Iraque estava, enfim, livre, o presidente alertou para o fato de que a consolidação da paz no Iraque será demorada.
Bush ressaltou que há "trabalho difícil" a fazer no Iraque: "Estamos ajudando a reconstruir o Iraque, onde o ditador construiu palácios em vez de hospitais e escolas para o povo".
"A transição da ditadura para a democracia levará tempo, mas vale cada esforço".

O presidente disse que a presença norte-americana no Iraque durará o tempo necessário até o termino do trabalho de normalização do país.
"Estamos levando ordem a partes do país que ainda são perigosas, estamos perseguindo e encontrando líderes do velho regime, que vão responder por seus crimes", disse.

O presidente fez breve referência às armas de destruição em massa, questão que tem causado embaraço ao governo, já que foi a principal razão para a operaçao militar, mas até agora nada se descobriu de concreto a respeito.
"Começamos a busca por armas químicas e biológicas e já sabemos de centenas de lugares para investigar" , ressaltou.


Voltar