Nova proposta da Fenaban será votada hoje na quadra do Sindicato
14.09.2004

Está oficializada a assembléia dos bancários para votação da proposta da Febraban, hoje, 14/09/2004, em primeira convocação às 18:00 horas e em segunda convocação às 18:30, na quadra do sindicato na Rua Itaquera Nº 217 - Vila Barão - Sorocaba - SP - Telefax: (15) 3229.2990

Normalmente nessas assembléias, poucos bancários comparecem, mas seria importante a presença dos aposentados pois nossa luta no momento é para que o banco cumpra o índice da Fenaban. Portanto estão todos os aposentados convocados a participar da assembléia bem como assinar o livro de presenças.

Executiva Nacional dos Bancários indica aceitação da proposta da Fenaban
A Executiva Nacional dos Bancários avaliou como positiva a nova proposta apresentada pela Fenaban ontem , dia 8, e está indicando a sua aceitação nas assembléias que devem ocorrer no próximo dia 14/09 em todo o país. Considerou ainda que a proposta avançou bastante em relação à primeira, que foi de apenas 6%, que era abaixo da inflação calculada em 6,7% pelo INPC.
Com a aplicação do índice de 8,5%, o aumento real está garantido para todas as faixas salariais. De acordo com a análise feita por economistas do Dieese, o impacto no piso salarial da categoria, hoje de R$ 702,66, é de 12,77%, se considerado o reajuste de 8,5%, mais o valor fixo de R$ 30,00. Para a faixa salarial até R$ 1.500,00, a variação do reajuste vai de 8,5% a 12,77%, garantindo assim uma valorização nos pisos, que era uma das principais reivindicações dos bancários.

Nova conquista – Os bancários garantiram ainda 13ª cesta-alimentação, a ser paga 10 dias após a assinatura do acordo. Esta proposta configura uma nova conquista na Convenção, que era uma das premissas para se construir um acordo neste ano. Na avaliação do presidente da CNB/CUT e coordenador da Executiva, Vagner Freitas, desde 1995 não se incorporava uma nova conquista à Convenção da categoria. “Foi um grande avanço”. A cesta alimentação entrou na Convenção em 1994 e a última grande conquista foi a PLR, em 1995.

Campanha unificada e com aumento real para todos – “Além do aumento real, garantimos a 13ª cesta-alimentação, a valorização do piso e o fim da política de abono, que a cada ano corroía os salários. Com o reajuste acima da inflação, estamos invertendo a curva salarial do bancário. O piso que valia apenas 2,93 salários mínimos no ano passado, volta a superar os três salários e ainda teremos um acordo válido para os 400 mil bancários de todo o país e não apenas para 200 mil do setor privado, como era antes”, destacou o presidente da CNB/CUT, Vagner Freitas.
O presidente do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Luiz Cláudio Marcolino, destacou que esta é uma das melhores propostas dos últimos anos. “Só o aumento real e o fim do abono já são grandes conquistas para os bancários”, afirmou. Em relação à PLR, a regra geral é de 80% do salário mais R$ 705,25 fixos, ficando garantido que nenhum bancário receberá menos que R$ 900,00 na primeira parcela da PLR, que também passa a ser um pouco diferente: 60% do montante será pago dez dias após a assinatura do acordo e 40% na segunda parcela prevista para março.

Bancos federais e federalizados – A Executiva Nacional dos Bancários considerou que a proposta deve ser aprovada, levando-se em conta seus aspectos econômicos, que deverá ser seguida pelos bancos federais, conforme estabelecido no pré-acordo. Porém, as negociações com o Banco Brasil e a Caixa e bancos federalizados não renderam os frutos que os bancários esperavam. “Infelizmente não houve avanços com os bancos federais e federalizados em relação aos pontos específicos, reivindicados há quase três meses. Novas rodadas ocorrem entre amanhã e segunda-feira, quando a Executiva se reúne novamente para dar novas orientações com relação às negociações”, explicou Carlos Cordeiro, secretário-geral da CNB/CUT.O dirigente ressalta que o desfecho da campanha depende de avanços significativos nas questões específicas contidas no documento já entregue aos bancos no início da campanha.
Neste sentido, a Executiva indica que os sindicatos debatam a proposta com os bancários para apreciação nas assembléias que devem ocorrer no próximo dia 14/09 em todo o país.


Voltar para Notícias da Afaban